Compliance On Top: o anuário dos profissionais de Compliance no Brasil

O departamento de Compliance tem se tornado cada vez mais um ponto de atenção nas empresas e, como consequência, os profissionais que atuam nesse setor têm conquistado uma posição mais estratégica dentro das organizações. É o que evidencia a pesquisa trazida pelo Anuário Compliance On Top, iniciativa da LEC e da VITTORE Partners, que buscou mapear o mercado dos profissionais de Compliance corporativo no Brasil.

A publicação traz um retrato a respeito da área de Compliance no país, em empresas de todos os portes e setores da economia nacional. A pesquisa foi realizada entre os meses de setembro e novembro de 2018, com líderes da área de Compliance, em companhias de grande porte, em todos os setores da economia.

Além de evidenciar a escalada da área de Compliance, o Anuário Compliance On Top trouxe ainda a premiação que reconheceu os 20 Executivos de empresas mais admirados na área, conforme a opinião dos seus pares. 

Neste ano, o prêmio será ainda maior. O mercado poderá votar para eleger os mais admirados em duas novas categorias: advogados e consultores. Os 5 mais admirados em cada uma destas duas novas categorias serão também premiados na cerimônia de lançamento, que acontece no dia 29 de novembro, no Hotel Unique, em São Paulo.

Confira, neste post, alguns dos insights mais relevantes encontrados pela pesquisa do Anuário Compliance On Top em 2018.

Desafios mais comuns enfrentados pelos profissionais de Compliance na atualidade

A pesquisa evidenciou que o aumento do volume e da complexidade do trabalho de Compliance são os principais desafios do setor dentro das organizações nos dias de hoje.

De acordo com a publicação do Anuário Compliance On Top, essa maior inserção da área nos escalões mais altos do mundo corporativo não veio de graça. Os líderes dos departamentos e suas equipes estão tendo de lidar com temas novos e diversificados, ao lado da governança corporativa.

Esse cenário é agravado porque o Compliance é um tema ainda relativamente novo no Brasil, historicamente não abordado nas graduações tradicionais, como nos cursos de Direito ou Administração, o que culmina em uma baixa quantidade de profissionais qualificados no mercado para ocupar as posições abertas.

Diante dessa realidade, muitos profissionais, mesmo os mais experientes e com longa carreira em suas empresas, quando se depararam com a oportunidade de assumir o comando da área, recorreram a cursos e especializações.

A publicação revelou que 2/3 dos entrevistados, na pesquisa, buscaram por cursos dessa natureza, com o objetivo de conquistar uma boa visão do mercado, aprofundar seus conhecimentos e se destacar.

As certificações profissionais  estão em uma forte tendência de crescimento, apesar do que 67,2% dos entrevistados ainda não possuem uma certificação específica de Compliance, como, por exemplo, a Certificação Profissional em Compliance Anticorrupção, a CPC-A, que é ofertada pela LEC em parceria com a FGV-Projetos.

Essa realidade faz as empresas disputarem os profissionais mais qualificados no mercado. O reflexo disso? Briga por bons profissionais, salários acima da média para a senioridade do candidato e muita gente se preparando para entrar na área. Veja, a seguir, mais sobre o mercado de Compliance.

Mercado para profissionais de Compliance em alta

A demanda por profissionais especializados e experientes ainda é muito grande. Já a quantidade de bons nomes para ocupar posições de comando em Compliance, ao contrário, é escassa.

Nada menos que 80% dos profissionais em posição de liderança de Compliance, entrevistados na pesquisa do Anuário Compliance On Top, receberam ao menos uma proposta para mudar de emprego, entre o último trimestre de 2017 e novembro de 2018.

Assim, em um país que ainda enfrenta uma grave crise econômica e de emprego, esse indicador revela um campo profissional de fortes oportunidades para os profissionais que se capacitam na área.

Essa grande demanda, em um segmento relativamente novo, torna a busca por profissionais reconhecidos e qualificados ainda mais intensa no mercado.

Em consequência da grande procura pelos profissionais de Compliance, a remuneração das posições estratégicas no setor acompanha esse crescimento, atraindo o interesse de muitos advogados, administradores e outros profissionais que já se encontram no inseridos no universo corporativo, como uma oportunidade de mudança de carreira e crescimento profissional.

Compliance assume posição estratégica

É certo que o Compliance encontra-se em diferentes níveis de maturidade dentro de cada uma das organizações, mas o entendimento sobre o papel da área, como uma fonte de segurança e de suporte para a tomada de decisão pelos gestores das empresas, começa a ganhar força.

Atualmente, poder contar com um profissional de Compliance, já é visto pelas organizações como um forte fator competitivo. 

Primeiro, por conta da melhoria dos processos internos e do próprio entendimento do papel do profissional da área.

Segundo, porque os profissionais de Compliance têm se esforçado dia após dia para entender as especificidades de cada negócio, os atores envolvidos e, com isso, eles também se aperfeiçoam e se ajustam à maneira como avaliam e endereçam os riscos que surgem a cada momento.

Esse trabalho gera mais confiança para as organizações, além de ajudar a manter a reputação das empresas no mercado.

Perfil do profissional de Compliance

Não são apenas os advogados que têm assumido as posições de liderança nos departamentos de Compliance. Isso porque, além de lidar com legislações e outras questões relacionadas ao universo jurídico, o Compliance Officer trabalha com o estabelecimento de processos e mecanismos de controles internos, além da gestão de pessoas e projetos.

Tais habilidades são cada vez mais necessárias para quem pretende avançar na área. Tanto que muitos profissionais, aproximadamente 85% deles, possuem MBA ou Pós-Graduação no Brasil, com destaque para cursos relacionados ao segmento de negócios. Outros 30% dos entrevistados realizaram sua Pós-Graduação no exterior, conforme revelou a pesquisa.

Essa preocupação com a qualificação se deve ao fato de que o Compliance Officer demanda conhecimentos técnicos específicos e multidisciplinares. Isso tem feito com que muitos profissionais, mesmo os mais experientes e com longa carreira em suas empresas, recorram a cursos e congressos na área.

Os mais admirados do Compliance na atualidade

Um compromisso assumido pelo Anuário Compliance On Top é proporcionar ao mercado a oportunidade de reconhecer bons trabalhos desempenhados em Compliance durante o ano, premiando executivos, advogados e consultores especializados. 

Por isso, e diante do absoluto sucesso da primeira edição do prêmio, neste ano 30 profissionais serão receberão essa honra, durante a cerimônia de premiação, que acontece no dia 29 de novembro, no Hotel Unique, em São Paulo. 

Além do tradicional prêmio destinado aos 20 mais admirados executivos de Compliance, 5 advogados e 5 consultores especializados serão, também, homenageados, de acordo com a opinião dos respondentes da pesquisa, que trará novos dados sobre o mercado e demonstrará a evolução da área neste último ano.

Para participar do trabalho de pesquisa e votar, você deve ser líder da área de Compliance em uma empresa, sócio em escritório de advocacia, sócio ou diretor em uma consultoria especializada.

Veja mais informações e confira quem são os profissionais de Compliance mais admirados do Brasil no site do Compliance On Top 2019.

Nenhum comentário

Publicar um comentário